E como foi o desafio receita saudável?!


Fechámos mais um #desafioreceitasaudável com direito a histórias fantásticas e a receitas irresistíveis. Confesso que algumas já experimentei, outras repeti, houve confissões que ficaram guardadas no meu coração e saí de cada semana com diferentes lições aprendidas. Para que não fique apenas na minha memória o registo, resolvi fazer um resumo dos pontos mais importantes deste desafio, de maneira a que quem não o acompanhou semanalmente ou quem queira rever as participações tenha oportunidade de fazê-lo. E como lancei o repto durante a sessão de "Pitch your idea" do Bloggers Camp no fim‑de‑semana passado, quem estiver interessada ainda em participar poderá fazê-lo enviando um email para lim.edition2012@gmail.com. O meu blogue é e será sempre um espaço de partilha de histórias bonitas e inspiradoras, com ou sem receitas a acompanhar.

Vamos então relembrar os momentos deste último #desafioreceitasaudável?

Primeiro comecei por vos apresentar em que é que este novo desafio difere do que já tínhamos feito anteriormente. Nada de tendências de clean eating ou de gluten free ou low carb. Curioso que as modas de quem não sabe quem é e o que fazer à vida venham sempre em inglês, como se assim ganhassem mais credibilidade (lá seguidores ganham dispondo dos hashtags certos, mas já sabem como são as manadas)...

Seguiram-se os 10 Mandamentos Para uma Vida (Relativamente) Mais Saudável e que assentam em ideias chave que aplico cá em casa e que quis partilhar convosco, todos eles conceitos que não se encontram fechados mas que estão abertos à discussão e às idiossincrasias da vida de cada um. Por outras palavras, não se trata de uma cartilha nem de uma fórmula fechada, mas sim de um conjunto de pressupostos que podem adoptar nas vossas vidas, ou não.




A primeira receita verdadeiramente dita neste desafio foi a minha: uns hambúrgueres de feijão e quinoa acompanhados de uma reflexão sobre as rotinas e a organização que aplico para conseguir cozinhar receitas à base de produtos biológicos e nutritivos. 


Hambúrgueres de feijão e quinoa.

Por esta altura imagino que já estivessem fartos de me ouvir, pelo que passei a palavra a uma das participantes mais entusiasmadas com o #desafioreceitasaudável, a Susana do Basta Cheio. A sua participação chegou-nos sob a forma de um ramen para aquecer os jantares de Fevereiro, mas também nos falou da importância das memórias e de uma relação emocional positiva com a comida, a que nos traz conforto e boas recordações. De como comida saudável não é apenas a que vem com um rótulo clean, mas sim com amor.  


Um ramen especial.

A terceira participação chegou pelas mãos da Joana do Entre Tachos e Sabores: umas deliciosas trufas de amendoim e cacau. Mas mais interessante ainda foi a partilha que a Joana fez da sua história em busca de uma alimentação mais saudável, um caminho que começou atribulado mas que após ter recorrido à ajuda de profissionais adequados e de ter curiosidade em procurar informação fidedigna, acabou por se revelar muito proveitoso.


A verdade é que, com pequenas variações, faço estas trufas quase todas as semanas. Obrigada, querida Joana!!

A Rapariga Moderna falou um pouco de como encara a alimentação desde que foi mãe. Os cuidados não diminuíram, mas foram ajustados em função da nova realidade e de outras necessidades. Se para algumas pessoas ter cuidados consigo durante esta fase da vida pode parecer paradoxal, eu acredito - e a Joana também - que uma alimentação para mãe e filho baseada em comida a sério é a base de uma vida saudável.


Panquecas crocantes de milho.
A Sara do Nem acredito que é saudável apresentou-nos dois tipos de arroz mais nutritivos do que o branco: o vermelho e o preto. São hidratos de carbono, muitas vezes vistos como os inimigos das dietas, mas que não têm razão de o ser. Todos os macronutrientes são essenciais a uma alimentação saudável e devem ser escolhidos com ponderação: evitando os brancos, simples e processados e escolhendo em alternativa os complexos, de cores mais escuras (que também têm mais fibra e proteína, surpresa!!!).


Arroz vermelho e arroz preto, qual dos dois o melhor?... O vermelho já é estrela cá em casa!

A simpática Maria João do blogue Ponto de rebuçado trouxe na sexta semana do desafio uma das participações mais inspiradoras. Falou-nos de como durante tanto tempo se perdeu em dietas sem sucesso, até finalmente a doença lhe ter batido à porta. Aí decidiu mudar radicalmente a relação que mantinha com o seu corpo passando pela alimentação e fez as mudanças necessárias e duradouras.


As trufas de millet e cacau da Maria João.


O universo masculino esteve muito bem representado nesta edição pelo Ricardo do blogue Na cozinha com RJ. Apesar de nisto dos blogues de culinária a maioria dos autores ser do sexo que eu considero mais forte - o meu - adorei que o Ricardo tivesse participado. Mas, como é óbvio, teve de ser praxado com um texto sobre bananas e a importância de as aproveitar no seu todo... ;)

Bolo de aveia e banana.

Na oitava semana a Ana do Cozinhar sem lactose trouxe umas tostas muito originais de tofu e beterraba. Embora algumas pessoas achem que retirar este ou aquele ingrediente da sua alimentação a vai tornar mais saudável, a Ana falou-nos de equilíbrio nas escolhas e eu falei-vos de um aspecto muito importante de quem quer ser realmente saudável: rodear-se de pessoas boas que trazem o que temos de melhor ao de cima.


Tostas de trigo sarraceno com beterraba e creme de tofu.

Já íamos a mais de meio neste desafio quando a Inês - mais conhecida como Inês gets healthy - cozinhou para nós uns deliciosos bolinhos de couve flor e partilhou uma história sobre como encontrou o equilíbrio na alimentação equilibrada e no exercício físico depois da doença dominar a sua vida durante muito tempo.


Bolinhos de couve flor.

Na décima semana a Patrícia do blogue Not Guilty Pleasure fez umas bifanas de Torres Vedras, daquelas bem gordurosas e cheias de molho... Curiosamente na sua versão guilty free estas bifanas parecem-se mais com umas belas papas de arroz para o pequeno almoço. São de inspiração macrobiótica e sabem a sobremesa (eu sei, já provei!!). Aproveitando a sua dica, em 7 pontos essenciais eu resumi com a ajuda da minha convidada como procuro o equilíbrio na minha maneira de ser saudável. Sim, não há fórmulas universais!!


Muito bom este creme de arroz com maçã e pecans!

Como não podia deixar de ser, tivemos de tocar no assunto sensível do gluten free. Saudável ou não? Já tanto foi escrito sobre isto e de maneiras tão contraditórias que o melhor mesmo é o seguinte: se se sentirem desconfortáveis com o glúten, aconselhem-se com um profissional de saúde para saber se é de tirar ou não, boa? E depois experimentem estes pastéis de lentilhas e alho da Joana do Prazer a cozinhar.


Se houvesse um vencedor neste desafio, seria o primo da Joana que tem uma mão fofíssima e que não resistiu também aos pastéis!

A Estefânia é nutricionista e por isso convidei-a a dar o seu contributo neste desafio. O que é para ti ter uma alimentação saudável, ó Estefânia? E ela respondeu como retirou o sal da sua alimentação. Não aquele que vem nos alimentos e que é suficiente em muitos casos para a nossa alimentação, mas sim o sal excessivo. E por isso trouxe umas receitas de bolachas com orégãos em forma de estrela.


Quem não adiciona mais sal pode optar por ervas aromáticas como é o caso destas bolachas salgadas... sem sal!

A Susana do Tertúlia da Suzy trouxe para o desafio uma receita muito prática de energy balls de cenoura, cheias de nutrientes e fáceis de levar para qualquer lado, anulando quaisquer desculpas de nos alimentarmos em condições mesmo com uma vida atarefada. Ou pelo menos a maioria, não sejamos radicais. E nós por cá falámos do trio maravilha, nomeadamente da importância de manter uma alimentação saudável a par de uma mente também ela sã e de exercício fisico regular.


Receitas em formato bolinhas, as sensações deste desafio!

A Luísa da Sardinha fora da lata contou-nos como na sua alimentação vegetariana cabe tudo com moderação. Um dia não são dias e o que alimenta o corpo, alimenta a alma. E eu acrescento: não só nos devemos cingir a comida a sério e dentro disso não há grandes limites, na minha opinião, como os seus lindos cupcakes também alimentam o olho e só isso já é meio caminho andado para eu não lhes resistir.


Cupcakes crus de morango.

A Ana Luísa do U-Choose trouxe uns unpredictable raspberry cakes para o lanche e uma história de perda de peso e de fome emocional que nos faz pensar duas vezes se dieta e vida saudável serão realmente conceitos que caminham de mãos dadas.


Estes bolinhos foram à praia ao meio dia...

Já íamos da 16ª semana (o tempo passa mesmo a correr quando nos estamos a divertir, não é?) quando a Sara do blogue No conforto da minha cozinha trouxe os bombons mais fofos do mundo inteiro e arredores. Para compensar tanta fofura, mostrei-vos o meu lado mais irascível e dei uma ajuda para saberem exactamente quando poderão cruzar-se com ele e o que fazer em caso de emergência...


Bombons de chocolate negro.

A última participação chegou pelas mãos da Carla do blogue O meu tempero: uma salada óptima de cavala e salicórnia feita com ingredientes locais, sazonais e  frescos. Basicamente, comida a sério. Para ser sincera, não vejo melhor maneira de terminar este desafio do que com uma receita com estes ingredientes.


Salada de cavala e salicórnia.


SaveSave
SaveSaveSaveSave
SaveSaveSaveSaveSaveSaveSaveSaveSaveSave
SaveSave

Comments

  1. Tantas sugestões saudáveis.
    Tenho de arranjar tempo para ver cada uma com mais calma.

    Beijinhos,
    Clarinha
    http://receitasetruquesdaclarinha.blogspot.pt/2017/06/salada-de-feijao-delicias-e-bacalhau.html

    ReplyDelete

Post a Comment

Popular Posts