Correr à chuva e uma sopa doce para aquecer.



Sejamos realistas, está um frio do caraças. É nestas alturas que dou graças pelo ar condicionado que mandámos instalar cá em casa, pelas botijas de água quente e pelo calor dos gatos no meu colo. Vou ser-vos sincera, eu adoro o frio quase tanto quanto odeio o calor. As canecas de chá quentes nas mãos. Os sobretudos e os cachecóis. Os gorros a tapar as orelhas. As sopas e os ensopados. E se os dias de frio vierem acompanhados deste sol magnífico que banha Lisboa, melhor ainda. Podemos dar longos passeios que nos permitem aquecer corpo e alma. 

Humidade é que dispenso. Parece que esta se entranha no bom humor das pessoas. Há inevitavelmente mais trânsito, acidentes e falta de paciência. Ou muito me engano ou em dias de chuva registam-se mais ataques cardíacos. O cinzento da atmosfera imiscui-se nas células e corre pela linfa destes seres humanos tão desenraizados do seu meio natural. Escondem-se nas suas casas, escritórios, automóveis. Não sabem dançar na chuva. Ou correr, como me aconteceu uma vez em que caiu uma carga de água durante uma das minhas corridas matinais e cheguei a casa com roupa e alma a pingar, mas revigorada. Nas ruas trotei rapidamente por indivíduos espantados e resguardados em toldos que os protegiam da chuva enquanto eu seguia o meu caminho, fresca como uma alface à chuva. Muito bom, recomendo. 

Se forem dos que preferem ficar por casa em dias de chuva - eu também prefiro, não vou ser tola e garantir-vos que aos primeiros pingos calço os ténis e saio a correr como uma gazela -, sugiro que experimentem esta receita. Adoro assar os legumes antes de os usar na sopa. O seu sabor fica acentuado, a sopa muito mais cremosa e, com o tempero adequado, não há mesmo como falhar. Desta vez quis experimentar uma mistura de especiarias que andava desejosa de usar desde o Halloween, quando um amigo americano me trouxe allspice dos Estados Unidos. Eu sou daquelas pessoas sem lata nenhuma que quando alguém vai viajar pede especiarias ou qualquer outro ingrediente para testar receitas. Uma vez levei com um "eu depois levo-te ao Martim Moniz" de um colega que esteve na Índia, mas fora isso tem corrido bem e viajo um pouco com eles sempre que me trazem algo para experimentar.

Para além do sabor adocicado e apimentado que esta mistura de especiarias confere à sopa e que fica absolutamente divinal (quem é esperta em usar os temperos das tartes na sopa, quem é? ahá!), não desperdicem as pevides da abóbora. Estas são muito nutritivas e não merecem acabar no caixote do lixo. Podem ser salpicadas nos pratos desta sopa ainda quente ou guardados para um snack saciante a qualquer hora do dia. E, como sempre, variando nos temperos, obtêm resultados surpreendentes. 

Se quiserem podem também consultar esta receita no site Nutrição Feminina.

Pumpkin Pie Soup


~ Ingredientes ~

240 cebola, descascada e cortada em gomos
200g de nabo, descascado e cortado em gomos
190g de chuchu, descascado e cortado em gomos
800g de abóbora butternut, descascada e cortada em gomos (reservar as sementes)
4 colheres de sopa de azeite
1 colher de café de sal
1/2 colher de sopa de pumpkin pie spice*

Ligar o forno nos 180º. Colocar todos os ingredientes num pirex, envolver bem nas especiarias e azeite e levar a assar cerca de uma hora. Lavar bem as sementes da abóbora e secá-las com um papel de cozinha. Colocá-las num tabuleiro largo de forno sobre papel vegetal, temperar com uma pitada de sal e pimenta preta e um fio de azeite. Assar na parte debaixo do forno até que estejam estaladiças.  Reservar e guardar num frasco bem fechado quando arrefecerem para outras utilizações. Retirar os legumes da sopa do forno e colocá-los numa panela grande. Ferver água (uso um fervedor elétrico) e colocá-la na panela, tapando os ingredientes. Deixar que ferva novamente e desligar o lume. Passar com uma varinha mágica, rectificar temperos e acrescentar mais água a ferver se necessário. Ao servir polvilhar com as sementes de abóbora crocantes.


*Mistura de especiarias adaptada do site Betty Crocker

3 colheres de sopa de canela moída
2 colheres de chá de gengibre moído
2 colheres de chá de noz moscada moída
1 colher de chá de cravinho (reduzi a dose recomendada porque não sou fã do sabor do cravinho, embora na mistura passe despercebido)
1 1/2 colher de chá de allspice moído (para quem não costuma ter esta especiaria em casa e não conseguir encontrá-la à venda - sugiro lojas de produtos importados, como a Glood - pode omitir da mistura ou adaptá-la como sugere esta receita, que basicamente reforça as quantidades das outra especiarias já presentes)

Tempo de preparação: 90m
Dificuldade: médio
Serve 8

Comments

  1. Confirmo. Mmmmmm, tão bom! Adoro esta sopa. Também faço. E também gosto de assar os legumes antes de os transformar em sopa. E também adoro correr à chuva, é uma das melhores coisas da vida. Parece que voltas a nascer, é uma sensação única.
    Vai lá procurar a terceira taça, porque é uma pena, são tão giras :)

    ReplyDelete
    Replies
    1. olha à conta de escrever estas coisas ontem quando fui correr começou a chover, mas não foi muito agradável porque estava bastante frio e vento junto ao rio e até que aquecesse demorou. karma is a bitch! :p

      Delete
  2. Sabes que o que os americanos chamam allspice é a pimenta da jamaica - consegue encontrar-se cá embora não seja suuuper comum. A minha avó madeirense usava e chamava-lhe algo como "óspaice". :-D Seja como for, essa sopa tem que estar maravilhosa!

    ReplyDelete
    Replies
    1. ahaha lindo! dessa não sabia e pensava que a pimenta da jamaica era outra coisa. mas assim já sei e não volto a incomodar o meu amigo americano ;)

      Delete
  3. Adoro assar os legumes para a sopa, ficam tão mais saborosas, ganham logo mais vida!
    Esta estação fria não é assim tão má, quando penso nas sopas reconfortantes.
    E nesta que me faz lembrar um delicioso smoothie para me aquecer nestes dias frios!
    Um beijinho.
    (gosto de fazer as minhas caminhadas à chuva, levo um impermeável e adoro sentir o cheiro a terra molhada e dos pinheiros por onde passo, é tão bom. Depois há sempre os que ficam a olhar para mim com ar de "quem é esta maluca?")

    ReplyDelete
    Replies
    1. essas caminhadas no pinhal à chuva são das lembranças que guardo com mais carinho dos tempos em que vivi em leiria. voltava a casa sempre com as galochas enlameadas, o que o meu pai não apreciava propriamente! :D
      a sopa com legumes assados é das melhores invenções da culinária! elas ganham realmente mais vida e aquele toque especial. e com estas especiarias esta receita fica realmente saborosa e única.
      beijinho

      Delete

Post a Comment

Popular Posts